Publicidade
Jundiaí - Sexta-Feira, 10 de Novembro de 2017 - Hora:08:54

Jundiaí participa do ‘Todos juntos contra o aedes’

 

A Unidade de Gestão de Promoção de Saúde (UGPS), em convênio com a Secretaria de Estado da Saúde, realiza, a partir de sábado (11), a ação “Todos juntos contra o aedes”. O trabalho será iniciado nas áreas com maior risco de criadouros do mosquito transmissor da dengue. A cidade, segundo o Índice de Breteau (IB) de outubro, tem situação satisfatória, porém, o monitoramento da residência pela população deve ser diário, para evitar a proliferação do aedes aegypti.

 

O trabalho de monitoramento quanto ao vetor de transmissão da dengue, aedes aegypti, é mantido durante todo o ano pela Unidade de Vigilância de Zoonoses (UVZ), com mapeamentos e identificação dos locais de maior risco. No mês de outubro, 3.191 imóveis foram visitados e em 2.680 localizados como locais passíveis de criadouros. Desse total, apenas em 18 foram identificadas larvas do mosquito, resultando em um índice de Breteau (IB) de 0,6. O resultado é equivalente ao registrado na mesma época do ano passado. “Com base da normativa do Ministério da Saúde, o valor do índice está abaixo de 1, o que significa que a cidade está em situação satisfatória. No entanto, há bairros com índice elevado como Agapeama, Centro e Hortolândia, registrando IB de 1,7”, explica a biomédica UVZ, Ana Lúcia de Castro Silva.

 

A partir de sábado (11), será iniciada, em parceria com o governo do Estado, a campanha “Todos juntos contra o Aedes”, com visitas casa a casa para orientação e eliminação de criadouros. O trabalho será realizado em outros dois sábados (18 e 25), priorizando as áreas com índices acima da média. “Essas áreas de maior índice já são reincidentes há anos, e as formas de criadouro também: pratos e vasos de plantas, que somam 50%, além de material não descartado corretamente como pneus, garrafas e latas, com mais 44%. O que se destaca neste ano é a ocorrência de 6% de possíveis criadouros em bromélias”, alerta a biomédica.

 

Atuação
De acordo com o gerente da UVZ, Carlos Ozahata, a população não deve descuidar do combate ao mosquito. “Tivemos menos registros de dengue neste ano, mas existe o alerta do Estado para o risco de transmissão de chikungunya neste próximo verão. Jundiaí teve dois casos autóctones no primeiro semestre deste ano. No ano passado foram cinco. No Ceará são 100 mil pessoas com a doença sendo registradas 130 mortes pela doença. A melhor forma de combate é evitando o criadouro”, detalha.

Enquetes
Diante das acusações, Michel Temer ficará na Presidência até o fim do mandato?
Fale conosco
Itupeva - Sp - Brasil
Contato comercial: Herikson Almeida
Telefone 11 9.9674-9857 - 11 9.4866-5716
Email: contato@gazetadeitupeva.com.br
Contato redação:
Email: redacao@gazetadeitupeva.com.br
Formulário de Contato
Copyright © 2013. Portal de Notícias Gazeta de Itupeva.
Todos os Direitos Reservados
Programador PHP